57 empresas são responsáveis por 80% das emissões de GEE do mundo


Cerca de 80% das emissões globais de gases de efeito estufa desde 2016 podem estar diretamente ligadas a apenas 57 empresas que operam no setor de petróleo, gás, carvão e cimento – e suas emissões aumentaram desde o Acordo de Paris – de acordo com o relatório da InfluenceMap, organização sem fins lucrativos que mantém o Carbon Majors Database (CMD), mostram que um poderoso grupo de empresas controladas pelo governo e grandes multinacionais de energia e cimento são responsáveis pela maioria das emissões de carbono. Os três maiores emissores de CO2 do mundo eram todas empresas estatais: a petrolífera saudita Saudi Aramco, a estatal russa Gazprom e a indiana Coal India, controlada pelo governo.

Entre as empresas de propriedade de investidores, a gigante de energia ExxonMobil foi a maior poluidora – esteve ligada a 3,6 gigatoneladas de CO2 nos últimos sete anos, ou 1,4% do total global. Ela foi seguida por Shell, BP, Chevron e TotalEnergies, associadas a pelo menos um por cento das emissões globais de gases de efeito estufa.

Nos sete anos após a adoção do Acordo de Paris, no final de 2015, 251 GtCO2e de emissões estão ligadas às 117 entidades existentes na base de dados, cuja parcela de CO2 representa mais de 88% do total de emissões de combustíveis fósseis e cimento neste período; 80% dessas emissões globais de 2016 a 2022 podem ser rastreadas a apenas 57 entidades produtoras corporativas e estatais. Nesse período, os produtores estaduais respondem por 38% das emissões do banco de dados, enquanto as estatais respondem por 37% e as empresas investidoras por 25%.

Richard Heede, que estabeleceu o Carbon Majors em 2013, afirma que “É moralmente repreensível que as empresas continuem expandindo a exploração e a produção de combustíveis de carbono diante do conhecimento agora há décadas de que seus produtos são prejudiciais. Não culpe os consumidores que foram forçados a depender de petróleo e gás devido à captura do governo por empresas de petróleo e gás”.

Todas as empresas petrolíferas apontam que têm metas de NetZero em vigor e estão investindo em energia limpa, embora suas definições de net zero e seus métodos para alcançá-lo variem. O banco de dados Carbon Majors descobriu que o aumento é mais pronunciado na Ásia, onde 13 em cada 15 (87%) empresas avaliadas estão conectadas a emissões mais altas em 2016-2022 do que em 2009-2015, e no Oriente Médio, onde esse número é de 7 em cada 10 empresas (70%); na Europa, 13 de 23 empresas (57%); na América do Sul, 3 de 5 (60%) empresas; na Austrália, 3 em cada 4 (75%) empresas estavam ligadas ao aumento de emissões; 3 em cada 6 (50%) empresas africanas; na América do Norte, 16 de 37 (43%).

Últimas Notícias

Fortalecendo a prevenção e o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil, está comprometida com a causa social de "Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e...
advertisementspot_img

Busch do Brasil expande seu portfólio com produtos da Pfeiffer Vacuum

A Busch do Brasil Ltda., uma subsidiária integral da Busch SE, anunciou expansão de seu portfólio: está assumindo a distribuição e o serviço dos produtos...

Identificação padronizada para segurança do alimento

Uma nova forma de identificar produtos no varejo, que transforma a rotina dos consumidores e os processos de automação das empresas da cadeia de...