Acelen reduzirá em 30% a geração de resíduos na Refinaria de Mataripe


A Acelen vai reduzir cerca de 30% (7.200 toneladas) da geração de resíduos nas operações da Refinaria de Mataripe este ano, tendo como meta eliminar completamente a destinação de materiais para aterros sanitários em 2024. A iniciativa marca o pioneirismo da empresa na implementação da visão do resíduo como parte integrada da cadeia produtiva, adicionando desenvolvimento tecnológico na sua gestão. Tal visão se soma a uma série de medidas para diminuir de forma contínua o impacto ambiental e a pegada de carbono nas operações da planta industrial, visando um refino mais sustentável. 

O processo de redução da geração de resíduos teve início a partir da análise do perfil de materiais gerados na operação da refinaria, em que foram identificadas diversas oportunidades, desde otimização na utilização de recursos até o melhor aproveitamento e aplicação. Cada medida implementada agrega valor ao promover a circularidade, considerando o tripé da sustentabilidade: ambientalmente seguro, socialmente responsável e economicamente viável.

Algumas das iniciativas de maior impacto têm como premissa o reaproveitamento de materiais antes destinados como resíduo, para os quais foi identificado potencial para serem transformados em matéria-prima ou coprodutos para uso em outras indústrias. As possibilidades de reaproveitamento sustentável vêm sendo mapeadas e avaliadas parcerias estratégicas com indústrias-chave de diferentes setores, como petroquímico, metalúrgica, cimenteiro e de pavimentação, para buscar a melhor aplicação para os coprodutos que estão sendo especificados.

“Os avanços para uma menor pegada ambiental refletem o investimento robusto, consistente e bem-sucedido na refinaria, como parte da estratégia ESG voltada à integridade ambiental, um dos nossos temas prioritários, com melhor gestão do uso da água, efluentes, resíduos e circularidade. Estamos colhendo os frutos de um trabalho focado no uso de tecnologias inovadoras, a partir do conceito de indústria 4.0 implementado na nossa refinaria, para reduzirmos os impactos da nossa operação”, ressalta o vice-presidente de Operações da Acelen, Celso Ferreira.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...