Atlas Renewable Energy e Votorantim Cimentos assinam contrato de compra de energia (ppa) solar


A Atlas Renewable Energy e a Votorantim Cimentos assinaram um Contrato de Compra de Energia (PPA) para fornecer e comprar, respectivamente, 100 MW de energia solar para os próximos 15 anos. A energia solar fornecida por meio deste acordo atenderá às necessidades energéticas das unidades de produção e centros de distribuição da Votorantim Cimentos localizadas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

Com a nova parceria, o projeto será responsável por cerca de um terço do consumo de energia da Votorantim Cimentos no país, o equivalente ao fornecimento de energia para 424 mil residências. Através do PPA de autoprodução, a empresa avança na sua estratégia de descarbonização, que inclui as energias renováveis ​​como um dos seus pilares estratégicos.

A nova geração de energia virá do Projeto Solar Luiz Carlos da Atlas, localizado no município de Paracatu, Minas Gerais, que terá capacidade instalada de 787 MWp, dos quais quase dois terços (470 MWp) serão destinados à Votorantim Cimentos.

“Esta parceria com a Votorantim Cimentos confirma a repetida capacidade da Atlas de fazer parceria com empresas blue chip do setor industrial da América Latina para ajudá-las a fazer a transição energética. Também contribui para a construção da cadeia produtiva sustentável do Brasil movida a energia limpa. Ao mesmo tempo, estamos orgulhosos de que nosso projeto, Luiz Carlos, promoverá os melhores programas ESG da Atlas visando o verdadeiro desenvolvimento sustentável”, disse Carlos Barrera, CEO da Atlas Renewable Energy.

O projeto também faz parte da carteira de investimentos da Votorantim Cimentos para aumentar sua competitividade estrutural, garantindo melhor posição no longo prazo e crescimento sustentável.

“Este projeto é um passo importante na nossa jornada de descarbonização e está alinhado aos Compromissos de Sustentabilidade 2030 da Votorantim Cimentos. Em todas as regiões onde atuamos, nosso foco é intensificar a eficiência e incorporar o uso de energias renováveis, aumentando o volume de energia limpa autoproduzida que consumimos e, consequentemente, a nossa competitividade, gerando benefícios para a sociedade e para o planeta”, afirma Álvaro Lorenz, Diretor Global de Sustentabilidade da Votorantim Cimentos.

O projeto solar Luiz Carlos ficará localizado em Paracatu, Minas Gerais, município que já abriga outros projetos solares da Atlas, o que permitirá à empresa continuar investindo no desenvolvimento da região, em termos ambientais e sociais, com ênfase na contratação de mão de obra local.

Com o início da construção, a Atlas apoiará ativamente programas ambientais, sociais e de governança (ESG) robustos para o desenvolvimento sustentável. O principal programa da Atlas, “Todos fazemos parte da mesma energia”, durante a construção do Projeto Solar Boa Sorte, localizado no mesmo município, capacitou mais de 300 mulheres de cidades vizinhas para contribuir na construção das usinas solares. Além disso, também será implementado o premiado programa Ed-Mundo da Atlas. O programa foi concebido para educar jovens estudantes de comunidades sub-representadas em programação, TI, robótica e empreendedorismo e capacitá-los a desempenhar um papel central na transformação social, criando oportunidades de emprego e fontes adicionais de rendimento para as suas comunidades e famílias.

A meta da Votorantim Cimentos é que até 2030 45% da energia consumida globalmente venha de fontes renováveis. Com esse novo projeto, 75% da energia consumida pela empresa no Brasil virá de fontes limpas.

Desde a sua fundação, a Votorantim Cimentos sempre se preocupou em gerar energia própria para a produção de suas usinas. No estado da Bahia, a empresa opera a concessão da Usina Hidrelétrica Pedra do Cavalo, de 160 megawatts, além de possuir quatro Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) em outras localidades e participar do consórcio da Usina Hidrelétrica (UHE) Machadinho, no Sul do Brasil. . Em 2022, também assinou acordo com a Auren para construção de um parque eólico no Nordeste do Brasil, com capacidade de 220 megawatts, que entrou em operação no início de 2023, agregando 55 MW médios de energia renovável ao seu portfólio.

A celebração do acordo ainda depende das condições habituais para operações desta natureza, incluindo a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...