Ciclus Rio inicia a venda de 1,6 milhão de créditos de carbono


A Ciclus Rio, uma empresa da Ciclus Ambiental, iniciou a venda de 1,6 milhão de créditos de carbono, dos quais 1 milhão estão sendo disponibilizados em parceria com a Caixa Econômica Federal, 500 mil serão comercializados em outras plataformas e 100 mil serão vendidos no mercado. O CTR Rio, localizado no município de Seropédica (RJ), é responsável pela gestão de uma das maiores plantas de tratamento de resíduos do mundo, e evita o lançamento de mais de 1 milhão de toneladas de CO2 na atmosfera por ano, a partir da captação e do beneficiamento do biogás gerado no aterro sanitário.

O CTR da empresa é responsável pela gestão integrada de cerca de 10 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos recebidos diariamente em Seropédica, dos quais 9 mil são provenientes da cidade do Rio de Janeiro. O aterro conta com um sistema de drenagem com mais 350 poços interligados por tubulações, que captam 24 mil m³ de biogás por hora.

A maior parte do biogás gerado é tratado em uma planta de purificação e transformado em biometano, que é encaminhado para utilização na indústria e como gás veicular. A parcela remanescente do biogás é destinada a uma planta de geração de energia elétrica com capacidade de 2,8 MW, o que faz da Ciclus Rio autossuficiente em energia. Esse processo, somado a outras tecnologias existentes no CTR, faz com que a empresa reduza consideravelmente a emissão de carbono na atmosfera.

“Nossos créditos são registrados na United Nations Framework Convention on Climate Change (UNFCCC), da ONU, que é o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo mais regulado e rastreável do mundo. Seguimos um rigoroso plano de monitoramento e uma empresa verificadora internacional faz a auditoria de todos os créditos gerados pelas nossas operações”, declara Fernando Quintas, presidente da Ciclus Ambiental, unidade de negócios da SIMPAR responsável pela gestão e operação de resíduos.

A CAIXA, que é responsável pela venda de 1 milhão de créditos de carbono, abriu uma consulta pública para a manifestação de interesse e a obtenção de preços referentes à comercialização dos créditos. A consulta vai até 11 de junho, e os interessados apresentam a proposta de compra dos créditos, contendo o valor unitário que pretendem pagar por tonelada, volume e moeda a ser negociada.

O Programa de Atividades da Caixa Econômica Federal (PoA CAIXA) tem como objetivo o gerenciamento de resíduos sólidos e financiamento de carbono, oferecendo apoio no encerramento de lixões e na destinação ambiental correta dos resíduos. O PoA CAIXA foi o primeiro programa em Resíduos Sólidos de larga escala registrado no mundo e o primeiro no Brasil realizado por uma instituição financeira.

De 2012 até o fim de 2017, a Ciclus Rio entregou mais de 2,3 milhões de créditos de carbono ao Banco Mundial e à CAIXA, e já teve mais de 4 milhões de créditos de carbono certificados pela ONU.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...