Fase piloto e de implementação de tecnologia Hisep

Fotos: Petrobras/Rafael Pereira

A Petrobras anunciou o início do contrato de desenvolvimento e implantação do HISEP®, tecnologia inédita patenteada pela empresa que será utilizada para aumentar a eficiência produtiva, reduzir custos e a intensidade de emissões em sistemas de produção de petróleo e gás do Pré-sal. No Cenpes – Centro de Pesquisas, Desenvolvimento e Inovação da Petrobras, o presidente da companhia Jean Paul Prates, e os diretores de Exploração & Produção, Joelson Mendes, e de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Carlos Travassos, celebraram o início da fase de implantação do projeto piloto do HISEP® em escala comercial. O projeto Mero 3, localizado no Pré-sal brasileiro, será pioneiro no uso dessa tecnologia.

O HISEP® (sigla em inglês para Separador de Alta Pressão) é uma tecnologia de ponta que revoluciona o processo de produção ao viabilizar a separação submarina entre o petróleo extraído e o gás associado produzido, rico em CO₂, o qual é reinjetado diretamente no reservatório a partir do leito marinho. Dessa forma, grande parte do processo de separação deixa de ser feito na planta de processamento do FPSO e passa a ser realizado no fundo do mar, oferecendo maior eficiência energética, reduzindo o impacto ambiental e a intensidade de emissões. Essa inovação faz parte do portfólio de PD&I da Petrobras e conta com o apoio dos parceiros da empresa no Consórcio Libra.

“O HISEP® é uma inovação da Petrobras, tem DNA brasileiro e, em breve, irá contribuir para um desenvolvimento sustentável da indústria de óleo de gás. Além dos ganhos para o negócio, trata-se de uma tecnologia dos tempos atuais: uma das suas vantagens é atuar também como uma tecnologia de captura de carbono e, por isso, configura mais uma ferramenta que auxiliará a Petrobras a atingir suas metas de redução da intensidade de emissões”, declarou Jean Paul Prates. 

“O HISEP® tem potencial de agregar valor aos campos com alta RGO (Razão Óleo e Gás) e teor de CO₂, dando uma nova perspectiva de produção para eles. A escolha do Campo de Mero para a aplicação piloto do HISEP® é estratégica, uma vez que o Pré-sal da Bacia de Santos é uma das áreas mais promissoras e desafiadoras do setor. Com essa tecnologia revolucionária, esperamos otimizar a produção, reduzir custos e promover a eficiência operacional”, destacou o diretor de Exploração e Produção, Joelson Mendes.

“A implantação do HISEP® representa um reflexo significativo da nossa busca contínua por soluções tecnológicas inovadoras. Este processo é resultado de anos de pesquisa e desenvolvimento no Cenpes. Estamos confiantes de que o HISEP® se tornará uma referência de inovação com ganho de eficiência e geração de valor na indústria de petróleo e gás, contribuindo para consolidar a posição de liderança da Petrobras no mercado mundial”, concluiu o diretor de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Carlos Travassos. 

Para esta fase de implantação do HISEP®, a Petrobras firmou em janeiro/2024 um contrato com a empresa FMC Technologies do Brasil, subsidiária da empresa TechnipFMC. Esse contrato abrange o projeto, construção e instalação da unidade piloto do HISEP® e sua infraestrutura, incluindo a interligação com os poços produtores, injetores e a planta de processamento do FPSO Marechal Duque de Caxias (Mero 3). Além disso, será realizado um programa de testes com o objetivo de alcançar a maturidade comercial e tecnológica do HISEP®

FPSO Marechal Duque de Caxias – a unidade piloto de separação submarina HISEP® será interligada ao FPSO Marechal Duque de Caxias, pertencente ao projeto Mero 3, na área do Pré-sal. Esse será o quarto FPSO instalado no campo de Mero e terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo e 12 milhões de m³ de gás por dia. Os contratos de afretamento e de serviços terão duração de 22 anos e meio, contados a partir da aceitação final da unidade, prevista para o segundo semestre de 2024. O projeto prevê a interligação de 15 poços ao FPSO, sendo 8 produtores de óleo e 7 injetores de água e gás, através de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção, dutos flexíveis de serviços e umbilicais de controle.

O campo unitizado de Mero é o terceiro maior do Pré-sal e está localizado no Bloco de Libra, pertencente ao Consórcio de Libra, operado pela Petrobras (38,6%) em parceria com a Shell Brasil Petróleo Ltda. (19,3%), TotalEnergies EP Brasil Ltda. (19,3%), CNPC (9,65%), CNOOC Petroleum Brasil Ltda. (9,65%) e Pré-Sal Petróleo S.A. – PPSA (3,5%) que exerce papel de gestora do Contrato de Partilha de Produção e representante da União na área não contratada.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...