Investimento de R$ 293,8 milhões vai permitir ampliação da capacidade de escoamento de hidrovia em quase três vezes


A secretária de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil) do Estado de São Paulo, Natália Resende, e o subsecretário de Logística e Transportes, Denis Gerage, visitaram na manhã desta sexta-feira (5) o canteiro do Departamento Hidroviário (DH), em Buritama, na região de Araçatuba. Os dois acompanharam o avanço das obras de ampliação da profundidade do canal de Nova Avanhandava que abrange também os municípios de Araçatuba, Birigui, Brejo Alegre e Santo Antônio do Aracanguá.

A visitação teve início com a navegação pelo canal de Nova Avanhandava e seguiu até o local de detonação para derrocamento do leito do rio. A obra, que teve início no primeiro semestre de 2023, tem como objetivo estimular o transporte aquaviário, desenvolvendo a logística no Estado de São Paulo com a ampliação do aprofundamento do canal em 3,5 metros, ao longo de 16 quilômetros. O método escolhido é o de derrocamento especial, com o uso de explosivo encartuchado, com o qual serão retirados 552 mil m³ de material rochoso.

“É importante ressaltar que todo o processo de detonação é realizado com responsabilidade ambiental. Preocupamo-nos com os peixes e a fauna local. Temos uma rede de bolhas que é colocada ao redor da explosão e, de novembro a março, não realizamos essa explosão, pois é o período de defeso e de reprodução”, explica o subsecretário Denis Gerage.

Sob coordenação da Semil, por meio do DH, as obras do canal de Nova Avanhandava, no trecho da Hidrovia Tietê-Paraná, localizado em Buritama, na região noroeste do Estado, começaram em maio de 2023 com investimento de R$293,8 milhões e previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2026. 

“O aprofundamento desse canal será muito importante na época de estiagem, pois permitirá a passagem de embarcações de grande porte nos períodos em que o nível da água menor reduz também o calado permitido”, destaca a secretária Natália Resende.

Importante eixo de logística no país, a Hidrovia Tietê-Paraná movimentou cerca de 2,5 milhões de toneladas de diferentes tipos de carga transportada em 2023. Após a conclusão da obra de ampliação da profundidade do leito do Rio Tietê entre os reservatórios Ilha Solteira e Três Irmãos, esse volume deverá aumentar significativamente, podendo chegar a 7 milhões de toneladas

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...