Lubrificação na indústria robótica: alta performance e preservação dos equipamentos


Os robôs estão cada vez mais presentes na rotina de variados segmentos. No entanto, as máquinas muitas vezes enfrentam ambientes de altas temperaturas, altas velocidades e fricção constante. Como é de se imaginar, seus componentes não são invulneráveis e a pausa para inspeção periódica, manutenção e lubrificação são fundamentais.

O especialista Luiz Maldonado, CEO da Lubvap Special Lubricants, empresa de distribuição com mais de 15 anos no mercado de soluções em lubrificação industrial, explica que em meio a essa alta da automação, se um desses robôs paralisar, toda a cadeia produtiva será interrompida.

Para evitar o tempo de inatividade dos processos automatizados, a lubrificação deve estar sempre na agenda da indústria. É essa manutenção adequada que permite que os robôs desempenhem suas funções sem apresentarem problemas e com o mínimo de desgaste“, indica Luiz Maldonado.

Robôs executam diversas tarefas em uma linha de produção: montagem, corte, manuseio de materiais, paletização, fundição sob pressão, distribuição, soldagem, retificação, lixamento e muitas outras. Eles tomam para si as tarefas tediosas e repetitivas, aumentando o rendimento e a eficiência das plantas industriais.

Os robôs industriais, em sua maioria, possuem eixos que se assemelham a braços humanos. Cada um desses eixos é equipado com uma caixa de engrenagem, que desacelera a velocidade de rotação do motor e transforma esse movimento em torque, funcionando de maneira semelhante às engrenagens de uma bicicleta, por exemplo. O que confere a precisão aos movimentos dos braços robóticos são os rolamentos, peças fundamentais.

Vários fatores podem causar desgaste nos componentes de um robô, incluindo seu ciclo de trabalho, rotações médias por minuto, temperatura operacional e impactos eventuais. A lubrificação é uma solução que atua no desempenho e na prevenção de falhas desses mecanismos cada vez mais automatizados“, comenta Luiz.

A graxa é a substância que permite que os braços robóticos funcionem de maneira adequada e suave. Ela reduz o atrito, controla a temperatura, aumenta a confiabilidade e prolonga o tempo de vida dos componentes.

A seleção do lubrificante deve ser feita com base em alguns criteriosos. O composto precisa demonstrar desempenho estável nas condições de operação, ser compatível com os materiais das vedações e atender a requisitos específicos, como grau alimentício para robôs que operam em linhas de produção de alimentos.

A robótica está cada vez mais integrada aos diversos segmentos industriais, proporcionando ganhos em velocidade, força e precisão. No entanto, esses ganhos dependem de uma lubrificação precisa e adequada. É aí que entra a importância de procurar o auxílio de fornecedores de lubrificantes de confiança, que podem orientar na seleção do lubrificante ideal para manter a atividade sem interrupções indesejadas.

Últimas Notícias

Fortalecendo a prevenção e o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil, está comprometida com a causa social de "Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e...
advertisementspot_img

Busch do Brasil expande seu portfólio com produtos da Pfeiffer Vacuum

A Busch do Brasil Ltda., uma subsidiária integral da Busch SE, anunciou expansão de seu portfólio: está assumindo a distribuição e o serviço dos produtos...

Identificação padronizada para segurança do alimento

Uma nova forma de identificar produtos no varejo, que transforma a rotina dos consumidores e os processos de automação das empresas da cadeia de...