Profissionais brasileiros se preocupam com impacto da inteligência artificial no trabalho


O uso da inteligência artificial está transformando o mercado de trabalho. É o que revela o estudo global Talent Trends, da Michael Page, uma das maiores consultorias especializadas em recrutamento de executivos. De acordo com a pesquisa, 60% dos profissionais brasileiros temem o impacto da IA no trabalho. Os profissionais brasileiros são os que mais acreditam que a inteligência artificial terá um grande impacto em seus planos de carreira a logo prazo, superando as médias global (52%), da América Latina (50%) e de países como México (48%), Argentina (26%), Panamá (25%), Chile (22%), Colômbia (18%) e Peru (16%).

“Ainda estamos explorando as melhores maneiras de trabalhar com a inteligência artificial. Como ocorre com qualquer nova tecnologia, ela gera preocupações em muitas pessoas, incluindo sobre a manutenção de seus empregos. Essa preocupação é legítima e natural. No entanto, é importante lembrar que quanto mais as pessoas se qualificarem, menos serão afetadas por essa nova realidade”, explica Ricardo Basaglia, CEO da Michael Page no Brasil.

Os profissionais brasileiros também lideram o uso de inteligência artificial no trabalho. Segundo o levantamento, 37% dos entrevistados utilizam a tecnologia em suas funções. Os profissionais da Colômbia aparecem logo na sequência, com 29%, seguidos por Peru e Panamá (28%), Chile (27%), Argentina (24%) e México (23%). A média na América Latina ficou em 28%, enquanto a global, em 30%.

Os dados fazem parte da pesquisa global Talent Trends 2024, um dos estudos mais abrangentes sobre profissionais e o mercado de trabalho, realizado em novembro e dezembro de 2023, em 37 países. Ele conta com a participação de aproximadamente 50 mil profissionais em todo o mundo, que atuam em empresas de diferentes segmentos e portes. O objetivo desse levantamento é alinhar as diferentes expectativas de profissionais (salários competitivos, flexibilidade e aspectos da cultura organizacional) e empresas (que sofrem pressões externas de um mercado de trabalho dinâmico).  

A pesquisa também procurou entender até que ponto o crescimento da utilização da IA está influenciando as decisões sobre a carreira dos profissionais. Quem mais acredita nessa influência são os profissionais da Argentina (26%), seguidos por Panamá (25%), Chile (22%), Colômbia e Brasil (18%) e México e Peru (15%). A média na América Latina ficou em 21%.  

“Como muitos profissionais esperam que a IA tenha impacto em suas carreiras a longo prazo, as empresas poderiam se beneficiar ao assumir o controle da narrativa, aumentar seu conhecimento sobre IA e definir uma estratégia que se concentre nos possíveis benefícios dessa tecnologia inovadora. Ao fazer isso, elas poderão preparar seus colaboradores para o futuro, aumentando as oportunidades que a IA oferece e minimizando os possíveis danos”, conclui Basaglia, da Michael Page.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...