Setor de transporte coloca meta de redução de emissões em risco


A UE estabeleceu reduzir as suas emissões em 90% até 2040 sem mencionar uma eliminação gradual do petróleo e do gás, embora isso seja imperativo para cumprir a meta. Em dezembro passado, o acordo da COP28 se comprometeu com a transição para longe dos combustíveis fósseis. A UE desempenhou um papel essencial na adopção desta linguagem, afirmando claramente que iria eliminar os combustíveis fósseis ininterruptos. No entanto, a nova comunicação da Comissão ainda projeta 46 milhões de toneladas de óleo equivalente (Mtep) de produção ininterrupta de petróleo e gás, que diz que serão usados principalmente para transporte de longa distância até 2050. Isso seria suficiente para continuar alimentando 900.000 voos transatlânticos, adicionando desnecessários 140 milhões de toneladas de COna atmosfera.

“… essa meta cairá por terra se não vier de mãos dadas com uma eliminação gradual dos combustíveis fósseis e novas leis reprimindo as grandes petrolíferas. A Europa tentará desesperadamente cumprir uma meta para 2040 enquanto ainda se alimenta de combustíveis fósseis…”, disse Sofie Defour, diretora de clima da T&E.

A Comissão projeta que 60% dos carros serão eletrificados até 2040. Trata-se de um enorme passo na direção certa, mas o cumprimento deste objetivo exigirá novas políticas para além do Padrão existente. Medidas adicionais para acelerar a adoção de carros elétricos na Europa para 60% são necessárias. Desmantelar carros fósseis antigos e reciclar materiais neles, ao mesmo tempo que acelera a procura de alternativas elétricas, ofereceria uma enorme oportunidade para a indústria automóvel da EU.

Tal como exigido pela legislação climática da UE, a inclusão das emissões dos transportes marítimos internacionais no âmbito da meta é um passo em frente para um setor demasiadas vezes ignorado na legislação climática.

Na aviação, o âmbito das reduções de emissões é inadequado e não corresponde à ambição do atual regulamento ReFuelEU Aviation, que exige a implantação de combustíveis verdes para todos os voos que decolam dos aeroportos da UE.

“As falhas e brechas do texto são todas corrigíveis. A UE não deve minar o seu próprio esforço para cortar milhões de toneladas de CO2 cedendo à pressão de um punhado de indústrias poluentes. É hora de acabar com o crescimento descontrolado e o lucro dos maiores poluidores do transporte e, em vez disso, focar em ajudá-los a se tornarem verdes até 2040″, acrescentou. Sofie Defour.

Últimas Notícias

Fortalecendo a prevenção e o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil, está comprometida com a causa social de "Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e...
advertisementspot_img

Busch do Brasil expande seu portfólio com produtos da Pfeiffer Vacuum

A Busch do Brasil Ltda., uma subsidiária integral da Busch SE, anunciou expansão de seu portfólio: está assumindo a distribuição e o serviço dos produtos...

Identificação padronizada para segurança do alimento

Uma nova forma de identificar produtos no varejo, que transforma a rotina dos consumidores e os processos de automação das empresas da cadeia de...