Siemens Energy vai fornecer usinas de ciclo combinado para Arábia Saudita

Usina de ciclo combinado Siemens Energy no Egito

A Arábia Saudita persegue a meta de reduzir suas emissões líquidas a zero até 2060. O país também conta com usinas a gás modernas e altamente eficientes, em combinação com a captura e posterior armazenamento de CO2. A Siemens Energy está fornecendo tecnologia importante para duas usinas que fornecerão ao reino saudita quase quatro gigawatts de energia, e um contrato de manutenção de longo prazo por 25 anos também foi concluído. Juntas, as encomendas têm um valor total de cerca de US$ 1,5 bilhão. 

Nos próximos anos, Taiba 2 e Qassim 2, duas das maiores, mais modernas e eficientes usinas de ciclo combinado do mundo, serão construídas na região oeste e central da Arábia Saudita. As turbinas a gás da Siemens Energy (classe HL) gerarão, cada uma, cerca de 2.000 megawatts de eletricidade em combinação com turbinas a vapor e geradores. O contratante geral e parceiro contratual da Siemens Energy é o China Energy International Group.

Karim Amin, membro do Conselho de Administração da Siemens Energy e responsável pelo grupo de negócios Gas Services: “A Arábia Saudita está perseguindo sua Visão 2030 de tornar o país um local de negócios inovador. As novas usinas garantirão um fornecimento de energia confiável e contribuirão para o desenvolvimento sustentável e orientado para o futuro do país. O centro de serviços locais da Siemens Energy em Dammam fará uma contribuição importante para a expansão das tecnologias e competências locais no Reino.”

As novas usinas substituem partes de um parque de usinas existentes e desatualizados na Arábia Saudita, algumas das quais ainda dependem de óleo combustível pesado como fonte de energia, e fornecem energia adicional para a crescente população e economia do país. As novas usinas economizarão até 60% de CO 2 em comparação com usinas movidas a petróleo. A estratégia energética do Estado desértico prevê igualmente a construção de centrais de captura e armazenamento de CO 2 no médio prazo a fim depermitir um provisionamento energético neutro em termos de CO 2. 
Taiba 2 e Qassim 2 devem ser conectados à rede em maio de 2026, inicialmente em “Modo de Ciclo Simples”, e um ano depois serão operados permanentemente como usinas de ciclo combinado.

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...