Auren combina negócios com a AES Brasil


A Auren Energia anunciou a combinação de negócio com a AES Brasil; com a incorporação, a Auren se torna a terceira maior geradora de energia no país.

A empresa combinada terá 39 ativos operacionais e em construção. A receita líquida das duas empresas chega a R$ 9,6 bilhões, um aumento de 55% sobre o faturamento da Auren. O EBITDA Ajustado da companhia passará do atual R$ 1,8 bilhão para R$ 3,5 bilhões. Os cálculos têm como base os números de 2023.

Os acionistas da AES Brasil terão três opções para a conclusão da transação: a conversão quase total de suas ações em papéis da empresa combinada, a conversão de suas ações em caixa e uma opção intermediária. A relação de troca equivale a 0,762 ação da AES Brasil para cada ação da Auren.

A transação será submetida à aprovação da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), e a expectativa é que seja concluída no segundo semestre de 2024.

“Desde a criação da Auren, em março de 2022, analisamos detalhadamente o mercado em busca de oportunidades de crescimento por meio de fusões e aquisições. Das mais de duas dezenas de processos que a companhia avaliou neste período, nenhum apresentou tanta sinergia, alinhamento estratégico e potencial transformacional para a Auren quanto a AES Brasil”, diz Fabio Zanfelice, CEO da Auren. “Temos um histórico reconhecido de criação de valor por meio de aquisições e gestão, a combinação de ativos e competências de Auren e AES Brasil criará a mais completa plataforma renovável do setor elétrico brasileiro e inúmeras oportunidades de criação de valor para nossos acionistas”.

@Divulgação

A transação consolida a Auren como uma das maiores geradoras de energia renovável do país, com uma capacidade total de 8,8 GW. Já em 2024, projetos em execução aumentarão a capacidade da companhia combinada em aproximadamente 700MW, com efeito imediato em sua geração de caixa.

A AES Brasil tem 25 ativos de geração de energia instalados ou em implantação, com uma capacidade total de 5,2 GW. Em 2023, sua receita líquida foi de R$ 3,4 bilhões e seu EBITDA somou R$ 1,7 bilhão.

A combinação de ativos cria a oportunidade de captura de sinergias expressivas. Entre elas, a otimização de processos corporativos, que reduzirá as despesas administrativas da empresa combinada. O valor presente dessas sinergias é estimado em R$ 1,2 bilhão, além de sinergias financeiras e operacionais.

Com a transação, a Auren fortalece a sua liderança já consagrada no segmento de comercialização de energia. No total, serão 4,1 GW médios de energia comercializados, equivalente a mais de 5% do consumo total do país.

Finalmente, a combinação de negócios faz com que a Auren tenha um portfólio ainda mais diversificado, robusto e resiliente, com fontes de energia complementares. Com a transação, a Auren terá um parque gerador com uma das melhores e mais diversificadas combinações de fontes renováveis do país, com a distribuição de sua capacidade em geração hidrelétrica (54%), geração eólica (36%) e geração solar (10%).

Últimas Notícias

Rockwell Automation em parceria com NVIDIA impulsiona o desenvolvimento de robôs móveis industriais com IA

A Rockwell Automation anuncia novas colaborações com a NVIDIA para impulsionar o desenvolvimento de robôs móveis industriais, mais seguros e inteligentes, com Inteligência Artificial...

Primeira fábrica de inversores de energia solar do Brasil

A Livoltek, empresa do Hexing Group, inaugurou a primeira fábrica de inversores de energia solar da América Latina na Zona Franca de Manaus (ZFM)....

GT PA-DIN apresenta extensões ao padrão com lançamento da versão 1.1

Os coproprietários do Process Automation Device Information Model (PA-DIM), incluindo FDT Group, FieldComm Group, ISA 100 WCI, NAMUR, ODVA, OPC Foundation, PROFIBUS e PROFINET...