FUP garante participação em GT para reabertura de fábrica de fertilizante no PR e conclusão da FAFEN-MS


A FUP – Federação Única dos Petroleiros faz parte do Grupo de Trabalho (GT) criado pela Petrobras para discutir a reabertura da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (FAFEN-PR) e a conclusão das obras da FAFEN Mato Grosso do Sul (FAFEN-MS). 

O GT terá 90 dias para apresentar um cronograma visando o retorno mais breve possível da fábrica do Paraná e o acompanhamento das obras de conclusão da unidade do Mato Grosso do Sul. A FUP apresentou propostas para a reativação também das fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia e de Sergipe, atualmente arrendadas para a Unigel, e para investimentos em novas unidades, buscando reduzir a dependência de importações e ampliar a participação do Estado na produção nacional. 

“A FAFEN-PR, ao ser reaberta, contribuirá imediatamente para o aumento da produção nacional de fertilizantes e do reagente ARLA 32”, destaca o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, que participa do GT, ao lado de Alberico Santos Queiroz Filho, diretor do Sindipetro Unificado e Ademir Jacinto da Silva, diretor do Sindiquímica PR.

Segundo os representantes da FUP, a unidade paranaense está em boas condições de preservação, com capacidade de produzir 30 mil m3 de oxigênio por hora, necessitando apenas de manutenções conforme as normas e inspeções gerais para garantir a segurança dos trabalhadores e da comunidade. 

Embora o processo de licitação seja demorado, os dirigentes sindicais acreditam que a retomada da obra ocorrerá até o primeiro semestre de 2024. A FUP e seus sindicatos acompanharão de perto todo o processo, garantindo o cumprimento das normas e procedimentos de segurança nas instalações industriais.  No entanto, a situação das fábricas da Bahia e de Sergipe é menos promissora. A Unigel tem enfrentado dificuldades na gestão dessas unidades, o que coloca o Brasil em uma situação ainda mais dependente das importações de fertilizantes. A FUP demanda a rescisão dos contratos de arrendamento vigentes e a retomada das unidades industriais pela Petrobras, a fim de evitar uma maior dependência externa e garantir a segurança do abastecimento do mercado nacional de fertilizantes. O Brasil importa cerca de 85% das suas necessidades de fertilizantes.

Últimas Notícias

Fortalecendo a prevenção e o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil, está comprometida com a causa social de "Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e...
advertisementspot_img

Busch do Brasil expande seu portfólio com produtos da Pfeiffer Vacuum

A Busch do Brasil Ltda., uma subsidiária integral da Busch SE, anunciou expansão de seu portfólio: está assumindo a distribuição e o serviço dos produtos...

Identificação padronizada para segurança do alimento

Uma nova forma de identificar produtos no varejo, que transforma a rotina dos consumidores e os processos de automação das empresas da cadeia de...