Rastreabilidade prova autenticidade


Com um foco crescente em diversos países em restringir as importações de produtos oriundos de trabalho forçado, ganha espaço uma forma de garantir verdadeiramente a transparência de diversas cadeias de produção.

A neozelandesa Oritain tornou-se líder na aplicação de ciência de dados para verificar a origem de produtos e matérias-primas. E vem estabelecendo parcerias com algumas das maiores e mais valiosas marcas do mundo para apoiar os seus compromissos ESG, reduzir o risco de fraude e práticas antiéticas e proteger suas reputações.

A metodologia de auditoria da Oritain combina dados e ciência forense para detectar elementos que ocorrem naturalmente em um produto ou matéria-prima. A composição do solo, o clima, a altitude, a precipitação e outros fatores ambientais revelam os detalhes da origem de um produto – a Impressão Digital de Origem que, uma vez criada, pode ser utilizada para auditar produtos em qualquer ponto da cadeia de abastecimento para diferenciar claramente o legítimo do fraudulento. E, ao contrário de outros métodos de rastreabilidade, nunca pode ser adulterado, replicado ou destruído. É autenticidade, verificada.

A origem de um produto pode ser identificada através de “impressões digitais” derivadas das composições químicas de plantas e animais. Esses compostos variam naturalmente em todo o ambiente: as proporções de isótopos estáveis ​​(átomos não radioativos do mesmo elemento que contêm diferentes números de nêutrons, como nitrogênio, carbono e muitos outros) são indicativas de diferentes regiões. Normalmente, as proporções de oxigênio-18 para oxigênio-16 ou hidrogênio-2 para higrogênio-1, que mudam de acordo com a temperatura, altitude e precipitação, e as proporções de carbono-13 para carbono-12 ou nitrogênio-15 para nitrogênio-14, que variam com base nas condições do solo, nos alimentos consumidos e nas práticas agrícolas, por exemplo, são examinados pela Oritain. Estas proporções isotópicas específicas, entre muitas outras, produzem melhores resultados quando analisadas pela Oritain, acrescentando ainda mais a abordagem que adotamos para verificar a origem de um produto. Juntamente com a análise de isótopos, a Oritain também analisa oligoelementos que ocorrem em produtos através da absorção da composição química dos solos, água e alimentos. Os oligoelementos de uma “impressão digital” de produtos incluem elementos essenciais sódio, potássio, zinco, ferro (Na, K, Zn, Fe) e mais de 35 outros.

O método utiliza modelos estatísticos para determinar uma impressão digital química de origem e testa amostras de acordo com esta especificação. Um limite de decisão baseia-se num intervalo de confiança adequado desta especificação para determinar “consistente” ou “inconsistente” com uma origem reivindicada. A escolha deste limite de decisão baseia-se na maximização da taxa de verdadeiros positivos (a percentagem de amostras genuínas que são corretamente classificadas como ‘consistentes’) e na redução da taxa de falsos negativos correspondente das amostras testadas (a percentagem de amostras genuínas que são incorretamente classificadas como ‘Inconsistente’). Devido à natureza da análise química e estatística, os modelos implementados pela Oritain têm taxas de erro associadas (Falso Positivo/Falso Negativo). A Oritain adota vários processos para reduzir esses erros e sempre garante que a ênfase seja colocada na obtenção de uma classificação correta e elevada de Verdadeiros Positivos. As especificidades dessas taxas de erro serão divulgadas ao Cliente após a conclusão do trabalho e uma declaração de adequação à finalidade pela Oritain.

A Oritain levantou US$ 57 milhões em uma rodada de financiamento da Série C liderada pela Highland Europe, com Jacob Bernstein da Highland se juntando ao conselho. A rodada foi apoiada pelo principal investidor da Série B, Long Ridge, de Nova York. O financiamento será utilizado para desenvolver a tecnologia da Oritain e expandir-se para novos mercados e indústrias.

A Oritain verifica a verdadeira origem de produtos e commodities e tem entre seus clientes empresas de moda e varejo de luxo como Lacoste, Supima e Primark, e produtores alimentícios como A2 Milk e Nescafe, usam a Oritain para garantir aos clientes que os itens que compram são genuínos e produzidos a partir de uma cadeia de fornecimento ética

Últimas Notícias

Recap lança campanha de combate a fraudes no setor de combustíveis

As fraudes no setor de combustíveis afetam não apenas a concorrência leal entre as empresas, mas toda a sociedade, ao retirar recursos de áreas...
advertisementspot_img

Prêmio DowGOL reconhece os melhores fornecedores logísticos 

A Dow Brasil anunciou os vencedores da 18ª edição do Prêmio DowGOL que reconhece e promove as melhores práticas de fornecedores logísticos. O evento...

Sabesp é finalista de maior prêmio do mundo no setor de biogás

A Sabesp é finalista do AD and Biogas Industry Award 2024, a maior premiação do mundo no setor de biogás. A Companhia concorre na...