thyssenkrupp Uhde assina com Ma’aden e Metso projeto de reciclagem de fosfogesso e captura de CO2

Dr Hannes Stroch, Piia Karhu, Robert Wilt, Hassan Al Ali, Lucretia Löscher, Michael Petzinna, @Divulgação

A thyssenkrupp Uhde assinou acordo com a Ma’aden (Empresa de Mineração da Arábia Saudita) para o desenvolvimento, engenharia e licenciamento de uma planta de calcinação para processamento de fosfogesso. O objetivo da central proposta, localizada em Ras al Khair, em Ma’aden, na Arábia Saudita, será reciclar fosfogesso e permitir a captura de emissões de CO 2 . A pesquisa e desenvolvimento conjuntos serão realizados em conjunto com a Thyssenkrupp Polysius e a Metso Outotec.

Hassan Al-Ali, vice-presidente executivo da Ma’aden Phosphate: “Estamos ansiosos para trabalhar com nossos parceiros para desenvolver esta solução única, utilizando nossa nova tecnologia patenteada para reduzir as emissões de carbono e reciclar o fosfogesso em um recurso útil. Com este ambicioso projeto, contribuiremos significativamente para a Iniciativa Verde Saudita e criaremos um impacto duradouro em linha com a Visão 2030 do nosso Reino.”

“Estamos honrados por termos sido escolhidos por nosso estimado cliente para fornecer nossa tecnologia e experiência”, disse Lucretia Löscher, COO da thyssenkrupp Uhde. “Estamos fornecendo o processo inovador para transformar a indústria de fosfato em uma economia circular. Este projeto será outro marco importante para a thyssenkrupp Uhde ao permitir a transformação verde dos nossos clientes.”

Atualmente, quantidades significativas de fosfogesso são produzidas como subproduto da produção de ácido fosfórico, essencial para a produção de fertilizantes fosfatados. As opções de utilização direta do fosfogesso são muito limitadas devido às impurezas e às propriedades gerais deste material. O processo inovador de tratamento com fosfogesso terá três benefícios principais: primeiro, converte o fosfogesso em cal viva (óxido de cálcio, CaO). Ao utilizar combustíveis alternativos, como o hidrogénio ou o enxofre, esta etapa de calcinação tem baixas emissões de CO 2 . Conhecimento adicional para esse processo é fornecido pela thyssenkrupp Polysius, fornecedora completa da indústria de cimento e cal. Em segundo lugar, permite a recuperação de ácido sulfúrico, que pode ser reciclado e reutilizado como matéria-prima para a produção de ácido fosfórico. E em terceiro lugar, a cal viva liga o CO 2 através de um processo de carbonização para formar calcário. O calcário pode então ser utilizado, por exemplo, na indústria da construção ou na produção de cimento.

Últimas Notícias

Fortalecendo a prevenção e o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil, está comprometida com a causa social de "Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e...
advertisementspot_img

Busch do Brasil expande seu portfólio com produtos da Pfeiffer Vacuum

A Busch do Brasil Ltda., uma subsidiária integral da Busch SE, anunciou expansão de seu portfólio: está assumindo a distribuição e o serviço dos produtos...

Identificação padronizada para segurança do alimento

Uma nova forma de identificar produtos no varejo, que transforma a rotina dos consumidores e os processos de automação das empresas da cadeia de...