Priner dobra valor de novos contratos


A Priner Serviços Industriais S.A. registrou R$ 537 milhões em novos contratos no segundo trimestre de 2023, somando R$ 805 milhões no semestre – o dobro dos primeiros seis meses de 2022.

“Ampliamos a gama de serviços prestados por cliente (share of wallet) e queremos oferecer engenharia de manutenção a outros segmentos de atuação, como indústria sucroalcooleira, parques eólicos e concessionárias até 2026. Também planejamos avançar geograficamente para o Sul e o Centro-Oeste, além de expandir nossa atuação no Norte. Continuaremos crescendo”, adianta o CEO do Grupo Priner, Tulio Cintra.

A receita líquida subiu 49% no segundo trimestre (R$ 254 milhões) e o EBITDA avançou 71% (R$ 34 milhões) frente ao 2T22. O lucro líquido chegou a R$ 9 milhões, com margem de 3,5%: alta de 67% em um ano. Pela evolução semestral, a receita líquida e o EBITDA ajustados avançaram 65% e 83%, respectivamente. O crescimento é explicado pela constante melhoria da eficiência operacional, pelo crescimento orgânico e pela gestão assertiva das aquisições realizadas. O retorno sobre capital investido (ROIC) ajustado do segundo trimestre atingiu 16,1%, alta de 6 pontos percentuais em relação ao 2T22, reiterando a combinação entre expansão da geração de valor e crescimento.

A companhia passou a atuar na região Norte este período pela unidade de negócios de Infraestrutura, que, junto à UN de Engenharia de Integridade e Inspeção, passou de uma receita líquida de R$ 23 milhões no primeiro semestre de 2022 para R$ 107 milhões nos primeiros seis meses deste ano – um incremento de 357%. Com isso, a representatividade dessas unidades saltou de 8% para 22% da receita operacional líquida ajustada consolidada. As três empresas adquiridas no primeiro trimestre – Tresca, Labteste e Soegeo – também contribuíram com receita líquida de R$ 20 milhões e lucro bruto e R$ 4 milhões no semestre.

“Nosso resultado confirma a assertividade de nossos movimentos referentes à seleção dos serviços adicionados, às escolhas dos processos de M&A e à adequada alocação de investimentos orgânicos (CAPEX). Existem muitas oportunidades para novos investimentos com TIR atrativas e vamos aproveitá-las”, aponta o CFO do Grupo Priner, Marcelo Costa.

O crescimento orgânico, representado pelas unidades de negócios de Serviços Industriais e Isolamento Térmico, também segue em franca expansão. Essas duas UNs geraram receita líquida de R$ 388 milhões no primeiro semestre de 2023, um crescimento de 40% em relação ao mesmo período do ano anterior (R$ 276 milhões).

Últimas Notícias

Utilização da capacidade instalada despenca para 58%, o menor nível mensal da história da química nacional

De acordo com os dados da amostra do Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC), o índice de utilização da capacidade instalada da indústria química brasileira...

FPSO Bacalhau – Primeiro FPSO Novo do Mundo com Notação DNV Abate

A Modec comunica que o FPSO Bacalhau recebeu a Aprovação em Princípio (AiP) para Notação de Redução da sociedade de classificação DNV, tornando-se o...

ADNOC implanta a primeira solução de IA RoboWell da AIQ em operações offshore

A ADNOC anunciou a implantação do RoboWell, a solução pioneira de controle de poços autônomos de inteligência artificial (IA) da AIQ, em suas operações...